Ferroada de Bagre

Uma coisa é certa: Quem já tomou uma ferroada de bragre, mandi ou Pintado, sabe como doí. Eu já tive a (in)satisfação de levar pelo menos uma de cada um dos peixes acima. Até hoje tenho a cicatriz do pintado na mão esquerda, resultado de tentar manusear o peixe sem o equipamento adequado e, por tanto, ferroada merecida 🙂

Assim que você leva a ferroada duas coisas vem a mente:

1- Fiz bobagem!
2- Putz, com dói!

Aí, aquela dor lacinante e latejante começa a tomar conta do local da ferroada e o sangue começa a correr, pois (não tenho certeza, mas só pode ser) aquela porcaria de ferrão deve ter alguma substância anti-coagulante, pois como é difícil fazer o sangue parar de correr.

Para parar a dor, conto aqui dois métodos que já usei e deram certo. No entanto, deixo claro que não sou médico, não tenho treinamento médico e não tenho certeza da eficácia desses métodos e que, os mesmo podem até vir a piorar a situação, então, nada substitui uma consulta médica mas, como na hora, vc se agarra até na barra da saia da mãe, aqui vão duas coias que vc pode tentar para diminuir a dor.

1- Colocar a ferrida em água morna/quente (Cuidado!!! Não vá queimar a mão, por favor. Caso esteja em dúvida, peça para sua mãe ajudar :-))

2- (crueldade com o animal, usar em último caso) Arrancar o olho do peixe a passar na ferida. Neste método, 100% dos pescadores a quem perguntei se isso funcionou (eu incluído) relataram que a dor realmente diminuiu.

No mais, considero a pesca como um hobby onde existe sempre um risco iminente. Dessa forma, quando você sai de casa para pescar, você assume esses riscos. Assim, se tomar uma ferroada de um peixe, considere que, dessa vez, o peixe venceu. Assuma a derrota, chore, esperneiem pragueje, mas devolva o peixe para a água.

No mais, sempre tome cuidado.

Luciano Cebula
para o Peska.com.br

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *