O CAUSO DA TRAIRA

Este causo se passou lá pelos idos de 1967 eu então com 13 anos morando as margens do Rio Paraíba do Sul, cuja cidade tem o mesmo nome, por cima da minha casa passava a centenária ponte de Ferro chamada Ponte Preta que esta em funcionamento ate hoje e na época era utilizada pela Estrada de Ferro Leopoldina, hoje e utilizada para turismos com uma Maria Fumaça, e atrás da casa passava a Linha Férrea Central do Brasil chamada de bitola larga em funcionamento até hoje, mas vamos ao causo.

Em frente a minha casa do outro lado da rua havia um terreno baldio pertencente ao dono da casa que morávamos o Sr. Jose (ja falecido) e havia um enorme pé de ingá e por baixo do mesmo uma lagoa formada pela variante de um canal do rio, um belo dia eu estava pescando nesta lagoa e peguei uma enorme trairá, mas a mesma saiu do anzol e caiu no chão eu fiquei com medo de pegá-la com a mão e ela foi se debatendo até cair novamente na água, perto desta lagoa havia uma tiragem de área na pá e os trabalhadores presenciaram o fato, ai foi motivo de chacota, o Sr. Jose ao tomar conhecimento falou moleque vamos lá que vou pescar esta trairá, ele era tropeiro daqueles que compravam gado na região e vinha tropeado até em casa no dia seguinte ele se armou de uma enorme vara de bambu e fomos para as margens da lagoa, não que logo em seguida ele levou uma tremenda puxada e falou agora você esta pega e começou a puxar a vara de bambu  e esta  vindo pesada, mas para o nosso espanto o que veio na realidade foi um balde. Velho cheio de lama, ai meus amigos. Ele. Xingou muito e eu tive que sair correndo para não levar umas gaspadas de bambu mirim no lombo.

Tenho certeza que e difícil de acreditar, mas estas coisas só acontecem com que pesca, pois a explicação do Sr. Jose e que a trairá ao ser fisgada passou pela alça do balde e o anzol ficou agarrado na mesma dando a impressão que havia fisgado um enorme peixe.
Espero que publiquem este causo estranho mais verdadeiro.

Afrânio Ornellas da Costa
Paraíba do Sul,RJ 05/09/07.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *