Pesca de Beira de Praia (SURFCASTING)

Hoje em dia existe no mundo milhões de pescadores esportivos, dos quais deles cada um pratica a sua modalidade preferida, mas vamos falar um pouco da famosa pesca de praia.

A pesca de praia assim como a pesca de barranco, é a porta de entrada para o mundo  da pesca, por ser uma das modalidades da pesca mais praticadas. Mas como todo esporte, sempre tem os seus macetes. Aqui vão algumas dicas para  quando for praticar o nosso esporte, no próximo fim de semana.

Primeiramente, vamos comentar qual é a melhor maré. São as de grandes variações: a de  lua cheia e nova, no período da maré enchente. É nesta hora que os seres vivos que estão sob areia, começam a se movimentar. Estas são as melhores iscas naturais: minhocas de praia, corruptos, tatuíras, siris, etc.

Um dos eventos que ocorrem neste horário, é o mar  começar a jogar-se sentido à praia. Significa que o que está no mar vai  ficar na areia, como restoa de peixes e, assim sendo, outros peixes e crustáceos vem acompanhando este alimento.

Outra isca a ser utilizada é o camarão, que deve estar fresco e sem casca, ou filés de peixes e a tradicional e eficiente sardinha, que pode ser em posta ou filé. Lembro que toda a isca deve ser amarrada com a linha elástica (elastricot).

O melhor momento de se colher iscas é na maré de vazante. Para obter sucesso, certifique-se dos horários das variações (pode ser visto no site em tábuas das marés).


Na pesca de praia, para se obter sucesso, deve-se lançar a isca no canal da praia (conhecidos como lagamares).

Lagamares ou canais de praia
Primeiro, vamos falar sobre o que são estes canais: Na verdade demorei mais de 20 anos para ter uma explicação simples de se entender. Vamos imaginar o mar: As ondas trazem um certo volume de água. Se a água vem, ela deve voltar por algum lugar! Isso mesmo… os canais das prais são por onde a água do mar volta. Ela não poderia voltar por onde veio. Se você observar, vai notar que a água do mar quem vem com as ondas, sempre tende a voltar por um lado: a do canal.

Mas como identificar um canal?
Ao chegar à praia, pare e observe o mar. Você vai poder ver onde se  forma a onda (espuma). Logo ela vai começar a sumir (engordar)  e depois ela volta a quebrar (espuma). Na parte onde ela sumiu é o canal!! Se ela não sumir, quer dizer que  você está onde o mar traz a água e o canal está para um dos lados que você está observando.

Para iniciar a pesca deve-se saber em qual tipo de praia você irá pescar. Se for uma praia rasa, você deve identificar os canais, mas se for uma praia de tombo, onde a profundidade aumenta rapidamente nos primeiros metros, a parte funda é o canal principal.

Uma vez identificado o tipo de praia vem a parte mais difícil, ver onde os peixes estão mais ativos. Para realizar isso, devemos realizar três arremessos: um arremesso curto, um médio e um longo. Cada um com um tempo de espera  de cinco a dez minutos (eu, por ser impaciente, prefiro o de cinco minutos). Durante este tempo, você deve ficar atento e com a vara na mão, para sentir a ação dos peixes. O local onde você sentiu mais ação ou até alguma fisgada, é o ponto onde os peixes estão mais ativos e ali que você deve continuar arremessando.

Sobre a tralha de pesca, iremos começar pelas varas.

Geralmente um bom pescador de surfcasting, pesca com duas varas: 
   – Uma vara de espera: Esta deve ser maior que três metros, (recomendamos a 3,5m a 4 m), com um fincador(suporte), para tentar os grandes peixes dos canais de fora. Esta vara longa serve para arremessos longos e diminuir o atrito provocado pela ação da maré sobre a linha.
   – Uma vara leve: (entre 1, 8m e 2, 5 ) metros, com anzóis menores. Os anzóis não devem ser muitos grandes, por isso leve alguns de tamanhos variados. O mesmo vale para os chumbos. Vários tamanhos e pesos. Você não sabe como estará o mar até o primeiro arremesso.

Particularmente, aconselho o molinete para a pesca de praia, mas cada um tem o seu gosto e preferência. Quanto à linha, esta deve ser fina, com no máximo 0,30 mm e rcerca de 200mts no carretelo.

O chicote geralmente mais utilizado, para carretel de linha 0,20 ou 0,25 mm, tem líder de uma a duas vezes o tamanho da vara, feito em linha de 0,30 ou 0,35mm, com duas ou três pernadas de 30 cm e o chumbo em baixo.

Existem muitas variações de pernadas, dependo do tipo de pesca a qual você vai realizar, logo a experiência do pescador vai adaptar a sua pernada preferida.

Outro ponto importante é com a frição do molinete. Para executar a regulagem,  você deve dividir por quatro o valor da resistência da linha. Por exemplo: Se a linha for para dez quilos, a fricção deve ser regulada para dois quilos e meio.

Um bom suporte de varas (existem varias opções  no comércio) também é um equipamento indispensável e, claro, não esquecer do boné, protetor solar, alicates de bicos (os peixes de praia podem engolir os anzóis), canivete, tesoura para cortar as iscas e, fundamental, o pano (não sua camiseta :-). Um pano é sempre muito útil para limpar as mãos e proteger o equipamento, assim como pode ajudar a segurar o peixe.

Bom, estas são as minhas dicas para quem quer se aventurar nas costas do nosso litoral.

Sucesso e boa pescaria.

Por: Flavio Zabala
Apoio, revista pesca esportiva 1995 edição Nº 3

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *