A tralha certa para o pesqueiro certo

 

 

Nem sempre o equipamento que você usa num pesqueiro vai servir num outro. A tralha usada em um determinado pesqueiro ou pesque-pague, pode não servir no outro, em que você for se aventurar. Para exemplificar, Vamos usar a tilápia: Há pesqueiros que você vai usar varas curtas com linha de fundo (sem bóia) e vai ter sucesso porque nestes pesqueiros as tilápias encostam no barranco e estão acostumadas a ficar por alí. Em outros você poderá usar varas maiores (4 a 5 metros) com boia porque elas estarão mais pro meio do lago ou seja, não encostam no barranco. Todo e qualquer pesqueiro tem suas peculiaridades, portanto fique atento a isso.

Tralha certa, local certo, tempo bom, lua certa e o peixe não entra. O que pode estar errado? Por que as pessoas ao meu lado nos Pesqueiros pegam um atrás do outro e eu não pego nada? Você já passou por essa situação?  O que pode estar errado é sua isca.

Nos pesqueiros, os peixes criados em cativeiro tem a mais variada forma de alimentação, então vão aqui algumas sugestões de iscas para este tipo de pesca, desde as mais tradicionais, até outras alternativas diferentes e inovadora:

Massas – Talvez as melhores iscas para pesqueiro. Faça a mistura com 1 parte de ração de peixe triturada (a mesma usada para alimentar os peixes nos pesqueiros), uma parte de farinha de rosca, um envelope de pó para suco sabor morango, ½ parte de ração em flocos para peixes de aquário. Deixe o farelo pronto e misture água do próprio lago até o ponto de liga. Pega todos os peixes de pesqueiros, exceto carpas.

Massa Doce – Especial para carpas. Dois quilos de batata doce, 10 paçocas de amendoim esfareladas, 5 colheres de sopa de leite em pó, farinha de rosca para dar liga. Cozinhe as batatas e após esfriar retire o fiapo do meio e amasse fazendo um purê. Esprema o purê em um pano para secar. Misture o farelo da paçoca e o leite em pó até formar uma massa homogênea. Adicione a farinha de rosca caso a massa fique muito molhada. Caso contrario, misture água do próprio lago até dar uma liga boa. Esta massa ter que ser consistente, porém deve dissolver vagarosamente quando em contato com a água. Use-a em chuveirinhos em grande quantidade, no fundo (carpa capim, espelho e húngara) ou com bóia (carpa cabeçuda e Húngara).

Minhoca e Minhocuçu – Bons para Bagre, Catfish, Pacú, Piau, Piraputangas, Pintados e Cacharas.

Queijo prato – Cortado em pequenos cubos é fatal para Matrinxãs, funcionando também com catfish.

Coração de galinha – Limpe o coração tirando toda aquela gordurinha, e corte ao meio de forma a abri-lo formando um filé. Corte pequenas tiras finas como se fossem minhocas. Cada coração deve render de 4 a 5 minhoquinhas. Guarde-as no fubá para facilitar o manuseio. Isque 3 ou 4 de cada vez de forma que fiquem pendurados no anzol. Tem o mesmo efeito das minhocas, porém mais eficiente.

Coração de boi – Cortado em cubos pode ser atrativo para Pintados, Cacharas e Bagres.

Goiabas – Em pequenos pedaços são a tentação dos Pacús, Tambacús e Tambaquis.

Mortadela ou Salame – Em cubos para Pacús, Tambacús e Catfish.

Camarão – Pequenos camarões limpos (7 barbas) pegam quase todos os tipos de peixes disponíveis. O difícil é conservar esta isca, pois fora do gelo se deteriora facilmente.

Finalmente, vai uma dica especial, válida principalmente para pesca em locais selvagens, mas muito eficaz em pesqueiros. Procure sempre observar a presença de bichos no local da pesca, tais como, aranhas, grilos, gafanhotos, siriris, tanajuras, etc… e frutas silvestres. Estas podem ser sua melhor isca.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *